Tem Luluzinha na capa da Veja

Sim, sim, galera. É a nossa Lili Ferrari na capa da Veja!

LuluzinhaCamp bombando na web

LuluzinhaCamp PR

logollcamprs

Luluzinha Camp RJ

logollcampminas

LuluzinhaCamp-Bsb - venha!

logollcamp

Faz quase uma semana que fizemos nossos encontros. Aqui vai um balanço de como a gente balançou a internet rede até agora.

Antes de ler cada um dos links, a minha reflexão sobre a nossa comunidade, feita antes do evento, que publiquei lá no Ladybug

Entre o dia 4 e o dia 7, a hashtag #luluzinhacamp foi usada 387 vezes… (contagem às 23h do dia 7/06).

Nos blogs: (por ordem de aparecimento)

PagSeguro

Sturm und Drang – republicado no Ecoblogs e no Faça a Sua Parte

Dellicace

Feminille

Frescurinha

Diário da Música

Blog da Dehhttp://blogdadehbora.blogspot.com/2009/06/beatriz-e-clarice-no-luluzinhacamp.html

Peculiarizar

Tumblr da Mafrinha

Garcia Sales

Just Lia

Ibeu

Mão Feita

Anne Makeup

Destilando Veneno

Rede Ecoblogs

Blog da Pulsarte

Em fotos:

O nosso grupo no Flickr tá inchado, recheado, delicioso… confiram. Lá ou aqui mesmo, no widget aí na barra lateral.

Fotos do LuluzinhaPR no Picasa da Tine

Na imprensa:

ClickRBS 1

ClickRBS2

PlustTV Especial

Rede Mapfre Mulher: só tem Luluzinha!

Orgulho pouco é bobagem. Eu tenho o maior orgulho das Luluzinhas blogueiras (e das que estão a caminho também). E o recém inaugurado Clube Mapfre Mulher é um exemplo da nossa excelência:

Babi Franzin, por Mr. Boombust

Babi Franzin, por Mr. Boombust

Babi Franzin, que adora carros e velocidade está no Salto Auto

Gabriela Bia por Lili Ferrari

Gabriela Bia por Lili Ferrari

Gabriela Bia, a nossa especialista em grana, está no Bolso da Saia

Gabi Bianco por MaWa

Gabi Bianco por MaWa

Gabi Bianco, sensacional e maravilhosa, organizadora de plantão, está no Bem Vinda

Lili Ferrari, a bela

Lili Ferrari, a bela

Lili Ferrari, super antenada, dá suas dicas no Viva Bela.

Temos o maior orgulho das nossas mulheres batalhadoras, sensacionais e maravilhosas. E a gente linka!

Sucesso, meninas, sucesso.

P.S.: teve uma coisa que não gostei no projeto: queria ler todo mundo junto ao mesmo tempo agora… Não dá. Tive que assinar feed por feed. Não seria mais bacana agregar todos os blogs? Ou a idéia não é esta?

Imagens do Flickr do LuluzinhaCamp; exceto Babi Franzin, que não se deixa fotografar. Foto do Mr. Boombust.

Clarinha Gomes, Luluzinha, na final de concurso de música

Todo mundo sabe que eu sou fã da Clarinha Gomes – e quem não sabe, fica sabendo… A moça, além das ótimas tirinhas também compõe e canta, vejam. E sua música está na final do concurso de composição do Leoni (gente, ele ainda existe?). Votem, votem, votem. O som é maravilhoso.

Rita Levi Montalcini: 100 primaveras e contando

Rita Levi Montalcini

Rita Levi Montalcini

Eu soube de Rita Levi Montalcini, pela primeira vez, no blog do Saramago. Hoje a Sandra Goraieb publicou um texto lindo sobre esta mulher centenária e lutadora. Um exemplo de vida para todas nós.
Com vocês, o texto da Sandra, que autorizou a publicação.

Ela atravessou um século de conquistas e transformações, de horrores e grandes guerras e amanhã completa cem anos. Rita Levi Montalcini nasceu em 22 de abril de 1909. Médica, professora, prêmio Nobel em 1986 pela descoberta do Nerve Grown Factor.
Sobre ele ela diz: “ Cheguei ao resultado com a sorte e a intuição. Encontrei o NGF porque o procurava com grande convicção. Tinha certeza de que existisse. Aquela descoberta derrubou a ideia que o sistema nervoso fosse estático e programado geneticamente.”
Confessa nunca ter-se apaixonado. “Tive grandes amizades, profundas, mas amores verdadeiros, nunca. Meu pai, um homem vitoriano, achava que eu e minhas irmãs deveríamos ser educadas para sermos mães e esposas. No fim permitiu que freqüentasse a Universidade. Foi uma grande vitória!”
Sobre o mal afirma: “O mal é o desejo excessivo do próprio bem-estar e desinteresse pelo bem comum”.
Sobre o século XX: “ Durante este século tivemos grandes sucessos científicos, sociais e também grandes horrores. “
Sobre racismo e antisemitismo: “ Não é a consequência de um destino genético, mas de desenvolvimentos epigeneticos, culturais. Tudo começa no período formativo, nos primeiros 5 anos de vida da criança, que recebe uma série de ensinamentos e informações do tipo: você é de raça superior (ou inferior), etc… Não existem raças, só racistas. E são estas superstições que podem (como já fizeram) levar a destruição de seis milhões de pessoas. Os seres humanos são influenciados culturalmente. É por isto que o verdadeiro remédio contra o racismo é a educação.” E continua com um paradoxo: “Não podemos nos dar nunca por vencidos. Eu mesma deveria agradecer as leis raciais por terem me rotulado de “raça inferior” e assim ter me obrigado a trabalhar segregada no meu quarto, onde tinha montado um pequeno laboratório e começado as pesquisas que me levaram ao Nobel.”
Sobre sua idade: «Cem anos? É a idade ideal para fazer descobertas. Nunca aposente seu cérebro. Eu trabalho dia e noite com uma equipe extraordinária. No European Brain Research Institute (EBRI), eu e meus jovens colaboradores estamos aprofundando os estudos sobre o NGF que acompanha o desenvolvimento do ser humano do período pré-natal até a velhice. Estes trabalhos poderão ser úteis para combater as doenças neurodegenerativas e desenvolver um fármaco contra o mal de Alzheimer».

Rita Levi Montalcini sorri e comenta: «O segreto da minha vitalidade é que eu vivo continuamente ocupada na pesquisa científica e nos problemas sociais. Não tenho tempo de pensar em mim mesma.”

Feliz aniversário! AUGURI!

Imagem: Flickr de audrey_sel em CC

Mostre seu amor

Temos selinhos para o seu site ou blog.
Pegue o seu.

Outubro Rosa

Outubro Rosa 2014

Blogroll